CARNE DE QUALIDADE EM SUA MESA

CARNE DE QUALIDADE EM SUA MESA

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

ATUALIDADE: Lei estadual define que seguradoras não poderão escolher oficinas após acidente na Bahia

 
As seguradoras que atuam na Bahia não podem mais obrigar os segurados a utilizarem uma oficina específica depois de acidentes. A novidade está em uma lei estadual promulgada pelo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo, e publicada no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (3). O texto determina que “o consumidor que adquirir qualquer tipo de seguro para veículo automotor possui direito de livre escolha das oficinas mecânicas e reparadoras, sempre que for necessário acionar o seguro para fins de cobertura de danos ao veículo segurado ou a veículos de terceiros”. 

A medida também se estende a terceiros envolvidos no sinistro, e em casos em que não houver consenso entre o terceiro e o segurado, a seguradora deverá respeitar a escolha de cada um. A possibilidade de escolha deverá ser informada pelas centrais de atendimento durante a ligação as seguradoras não poderão criar qualquer obstáculo ou impor tratamento diferenciado, nem limitar o direito de escolha. 

Segundo a lei, os motoristas baianos poderão escolher qualquer empresa que tenha pessoa jurídica constituída e com valores de orçamentos médios aplicados aos serviços do gênero. A infração da legislação resultará em sanções administrativas, previstas após a regulamentação. 
 
DA REDAÇÃO. Reprodução do Site Bahia Notícias.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

ATUALIDADE: Entenda a diferença entre os sintomas de zika, dengue e chikungunya

O crescente número de casos do zika vírus no Brasil e sua possível relação com o aumento do nascimento de bebês com microcefalia têm preocupado as autoridades de saúde. Um dos principais desafios dos órgãos de saúde na obtenção de dados confiáveis sobre os casos da doença tem sido a dificuldade de diagnóstico.

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, que decretou emergência internacional em saúde pública em razão do avanço da doença, além do vírus ser detectável somente por alguns dias no sangue das pessoas infectadas, os sintomas de zika são muito semelhantes aos de dengue e de chikungunya, dificultando o diagnóstico médico.

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), além de terem se originado na África e serem transmitidas pelo mesmo vetor, os mosquitos da família Aedes, como o Aedes aegypt, cuja ocorrência é registrada em quase todo o continente americano, zika, dengue e chikungunya tem mais coisas comuns. Os sinais clínicos causados por esses vírus são também muito parecidos. São eles: febre, dores de cabeça, dores nas articulações, enjoo e exantema (rash cutâneo ou manchas vermelhas pelo corpo). No entanto, existem alguns sintomas marcantes que as diferem. 

Confira as diferenças entre dengue, chikungunya e zika:
Zika

Os sintomas relacionados ao vírus zika costumam se manifestar de maneira branda e o paciente pode, inclusive, estar infectado e não apresentar qualquer sintoma (apenas uma em cada quatro pessoas infectadas apresenta manifestação clínica da doença). Mas um sinal clínico que pode aparecer logo nas primeiras 24 horas e é considerado como uma marca da doença é o rash cutâneo e o prurido, ou seja, manchas vermelhas na pele que provocam intensa coceira. Há, inclusive, relatos de pacientes que têm dificuldade para dormir por conta da intensidade dessas coceiras.

Ao contrário da dengue e da chikungunya, o quadro de febre causado pelo zika vírus costuma ser mais baixo e as dores nas articulações mais leves. A doença ainda traz como sintomas a hiperemia conjuntival (irritação que deixa os olhos vermelhos, mas sem secreção e sem coceira), dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas. Bastante raros, os relatos de morte em decorrência de zika estão, geralmente, relacionados ao agravamento do estado de saúde do paciente, já portador de outras enfermidades. A doença tem sido associada a complicações neurológicas, como a síndrome de Guillain-Barré, conforme relatado durante as epidemias simultâneas de zika e dengue na Polinésia Francesa entre 2013 e 2014.

Ainda não há dados precisos sobre o número de casos de zika vírus no Brasil, dada a dificuldade de seu diagnóstico e verificação laboratorial do vírus no sangue dos doentes. O Ministério da Saúde tem acompanhado as notificações das suspeitas de microcefalia associada à doença. Somente em 2015 cerca de 4 mil casos suspeitos da malformação ligada ao zika vírus foram computados. Desses, 404 foram confirmados. Em 2014, o número de bebês nascidos com a malformação foi 147 - um aumento de 83,6% dos casos. Os registros consideram que as ocorrências se devem por infecções causadas por vários agentes, e entre eles, mas não necessariamente, o zika vírus.
 
 
Chikungunya
As fortes dores nas articulações, também chamadas de artralgia, são a principal manifestação clínica de chikungunya. Essas dores podem se manifestar em todas as articulações, principalmente nas palmas dos pés e das mãos, como dedos, tornozelos e pulsos. Em alguns casos, a dor nas articulações é tão forte que chega a impedir os movimentos e pode perdurar por meses depois que a febre vai embora.

A confirmação do diagnóstico é feita a partir da análise clínica de amostras de sangue e o tratamento contra a febre chikungunya é sintomático, ou seja, analgésicos e antitérmicos são indicados para aliviar os sintomas, sempre sob supervisão médica. Medidas como beber bastante água e guardar repouso também ajudam na recuperação. Anti-inflamatórios e até fisioterapia podem ser indicados ao paciente se a dor nas articulações persistir mesmo depois da febre ter cessado.

A chikungunya é considerada mais branda do que a dengue e são muito raras as mortes que ocorrem por sua manifestação. Os óbitos, todavia, podem ocorrem por complicações em pacientes com doenças pré-existentes. No final de janeiro, por exemplo, um homem morreu em Recife em decorrência de miosite aguda causado pelo vírus chikungunya. No Brasil, em 2015 foram registrados 20.661 casos suspeitos da doença. Desses, segundo o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, 7.823  foram confirmados e 10.420 ainda se encontram sob investigação.
Dengue
Os quatro sorotipos da dengue (DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4) causam os mesmos sintomas, não sendo possível distingui-los somente pelo quadro clínico. O principal sintoma da doença é a febre alta acompanhada de fortes dores de cabeça (cefaleia). Dores nos olhos, fadiga e intensa dor muscular e óssea também fazem parte do quadro clássico da dengue.

Outro sintoma comum é o rash, manchas avermelhadas predominantes no tórax e membros superiores, que desaparecem momentaneamente sob a pressão das mãos. O rash normalmente surge a partir do terceiro dia de febre. Diarreia, vômitos, tosse e congestão nasal também podem estar presentes no quadro e podem comumente levar à confusão com outras viroses. O quadro de dengue clássico dura de 5 a 7 dias e desaparece espontaneamente e o paciente costuma curar-se sem sequelas.
 
Na ocorrência de dengue hemorrágica a situação torna-se mais complicada. A doença, cuja ocorrência é mais comum em pacientes que apresentam um segundo episódio de dengue, de um sorotipo diferente do primeiro caso, causa alterações na coagulação do sangue, inflamação difusa dos vasos sanguíneos e trombocitopenia (a queda do número de plaquetas). Devido à queda das plaquetas e à inflamação dos vasos, os pacientes apresentam tendência a sangramentos que não cessam espontaneamente, dor abdominal intensa e contínua (pele fria, úmida e pegajosa; hipotensão (choque); letargia e dificuldade respiratória (derrame pleural ou líquido nos pulmões).

Dentre as três doenças, a dengue tem sido considerada a mais perigosa pelo número de mortes. Em 2015, foram registrados 1.649.008 casos de dengue, dos quais 863 vieram a óbito, segundo dados do Ministério da Saúde.  Com informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde e Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) e Portal EBC.
 
DA REDAÇÃO. Reprodução do Site Verdinho Itabuna.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

URGENTE: Chambinho do Acordeon, intérprete de Luiz Gonzaga, tem carro atingido por tiros depois de show no Piauí


O cantor Chambinho do Acordeon, que interpretou Luiz Gonzaga no cinema, sofreu uma tentativa de homicídio na madrugada de sábado (30), após se apresentar em uma casa de shows na Zona Leste de Teresina. O artista estava acompanhado da empresária e de um amigo, quando um motoqueiro atirou quatro vezes contra o carro em que estavam. Apenas o motorista ficou ferido.

Em seu perfil no Facebook, Chambinho relatou o acontecimento e agradeceu a Deus está vivo. Ele declarou também não entender o que teria motivado o crime: “Qual será o motivo?? Não tenho desavenças pessoais com NINGUÉM, Confundiram o carro??? Ou querem fazer o mal comigo?? ESTAMOS VIVOS !!! ATÉ AONDE VAI ESSA MALDITA VIOLÊNCIA????? Logo no Piauí?? Não acredito que isso aconteceu ou está acontecendo!! Agradeço o apoio de todos!! A VIDA SEGUE!!!”

O G1 conversou com a empresária e namorada do cantor, Daniela Piccino, que estava com o artista dentro do carro. Ela contou que Chambinho terminou a apresentação volta de 2h15 e cerca de 50 metros da casa de shows, um motoqueiro armado começou a disparar contra o veículo em que estavam. “O nosso amigo era quem dirigia o carro. Estávamos animados, falando de composições, por isso andávamos a 40 km/h, quando ouvi um barulho e achei que fosse o pneu estourando. Logo em seguida olhei para o lado e vi o motoqueiro armado, então gritei de medo, mas na hora ele atirou mais três vezes mirando bem no Chambinho, que estava no banco do passageiro da frente”, relatou.


A empresária Daniela Piccino revelou que uma das balas passou na frente do cantor e atravessou a outra porta. Os estilhaços atingiu o braço do motorista e motoqueiro fugiu, dobrando em uma rua à direita. “Ainda vi outra moto se aproximando do carro e mandei o nosso amigo correr. Fomos direto para o hotel e acionamos a polícia. Nós registramos boletim de ocorrência na Central de Flagrantes e prestamos depoimento ao delegado da área. O Chambinho ficou muito abalado, quis embora da cidade ainda de madrugada, mas nossos amigos conseguiram acalmar ele e decidimos ficar mais um tempo em Teresina”, contou.

Além do show nesse sábado (30), Chambinho do Acordeon veio para Teresina participar do casamento de um amigo, em que ele e a namorada eram os padrinhos. O cantor preferiu não falar com a imprensa, pois ainda estava tentando dormir. O delegado Adelmar Canabrava, titular do 12º Distrito Policial e responsável pelas investigações, informou ter solicitado as imagens de todas as câmeras de segurança localizadas na Avenida Nossa Senhora de Fátima, onde aconteceu o crime. Nenhum suspeito foi preso até às 11h deste domingo.

FONTE: G1

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

ATUALIDADE: Deputado Bobô ajuda famílias vítimas da enchente em Riachão


Muito sensível com os últimos acontecimentos em Riachão do Jacuípe devido a enchente do Rio Jacuípe, o deputado estadual Bobô enviou hoje à cidade sua equipe de assessores para distribuir cestas básicas e fazer um levantamento dos estragos e das necessidades das vítimas da enchente para que ele possa junto ao governo do estado buscar recursos para ajudar a nossa cidade.

A apresentadora Tina Oliveira, que vem recebendo diversos apelos de ajuda através do seu programa na Rádio Comunitária Gazeta FM, o Mesa Redonda, manteve contato com o deputado desde a manhã do sábado (23). O deputado passou para ela que fizesse um levantamento e cadastro das famílias para que ele também pudesse ajudar.



Na manhã de hoje (29) seu assessor direto, jorge Eduardo veio a cidade e acompanhado de Tina Oliveira e uma equipe de amigos saíram distribuindo as cestas e vendo de perto e fotografando todos os locais atingindo para levar as informações até o deputado. Por telefone ele disse a nossa reportagem que não veio pessoalmente por conta de uma virose, mas que fará o possível para ajudar as famílias vítimas da cheia do rio.

VEJA O VÍDEO:

 

DA REDAÇÃO.

ATUALIDADE: Por conta da enchente PSD transfere para o fim de fevereiro a a convenção municipal em Riachão do Jacuípe



O Partido Social Democrático (PSD) suspendeu a convenção da executiva municipal que seria realizada no próximo sábado (30) aqui em Riachão do Jacuípe, por conta das últimas chuvas que caíram no município e da enchente que deixou milhares de pessoas desalojadas e algumas desabrigadas e causou a interdição a BR-324 por cinco dias.

A informação do adiamento da convenção municipal para outra data foi passada pelo presidente estadual da legenda, Senador Otto Alencar em comum acordo com Zé Filho, o Senador pretende na ocasião lançar a pré-candidatura do empresário e ex-presidente de Câmara Municipal de Riachão Zé Filho, a prefeito do município.


O partido hoje é considerado o segundo mais forte no estado da Bahia, atrás apenas do aliado PT e deve traçar as estratégias para manter esta posição. Segundo Otto Alencar, nas eleições de 2014 o PSD elegeu oito deputados estaduais, quatro deputados federais e um senador. “Nossa meta de chegar a 100 prefeitos em 2016, ante os 72 conseguidos no pleito de 2012 e Zé Filho é um que consideramos eleito diante da vontade de servir ao povo do seu município”, falou o Senador Alencar.

A nova data da convenção municipal do PSD está prevista para ocorrer no auditório do Riachão Palace Hotel no dia 27 de fevereiro e contará com a presença dos deputados Adolfo Menezes e Alex da Piatã, que, segundo Otto, foi convidado para fazer parte da legenda. A estratégia do encontro é debater os preparativos para as eleições de 2016.

Está sendo esperada também a presença da prefeita do município de Gavião, Benvinda de Oliveira Silva, única chefe de executivo do território do Jacuípe do partido PSD e Zenon Nunes da Silva Filho, prefeito de Santaluz, André Araújo Martins dos Santos de Retirolândia e Wilson Araújo Matos de Nordestina, todos esses municípios localizados no território do sisal e com prefeitos  integrantes do quadro do PSD.

DA REDAÇÃO. Com informações da Assessoria de Zé Filho.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

URGENTE: Time do jacuipense vai treinar e encontra estádio Eliel Martins fechado e trancado

Um absurdo inacreditável aconteceu na tarde desta quarta-feira (27), jogadores do nosso Leão Grená a postos, treino marcado, mas o que toda delegação encontrou ao chegar na Arena Valfredão foi os portões trancados e por mais de uma hora ficaram esperando para que pudessem ter acesso ao campo.



Depois de 15 minutos que nossa reportagem chegou ao local, o portão foi aberto por um funcionário, e pasmem, ele disse que não tinha aberto o portão antes por que seguia ordens de não abrir o estádio para o time do jacuipense treinar. Para o presidente do Esporte Clube Jacuipense, Felipe Salles, além de atrapalhar os treinos e desempenho do time, o fato pode estar ligado a perseguição política, pois a ordem de não abrir o estádio partiu do Secretário de Administração do município, Valfredo Júnior.





Com estresse e atraso o time manteve a concentração, rezaram um pai nosso e uma ave Maria e começaram o treino. Jacuipense joga contra o Vitória no próximo sábado em Salvador.

VEJA O VÍDEO:



REPORTAGEM DE ALANA ADRIELLE

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

ATUALIDADE: Comerciantes jacuipenses contam prejuizos com a enchente do Rio Jacuípe


A semana começou de forma diferente, ainda se conta pelas ruas da cidade as marcas da segunda maior enchente da história da cidade de Riachão do Jacuípe, em frente as casas nesta segunda-feira (25) montes de objetos e utensílios domésticos perdidos nas águas do Rio Jacuípe. Se para alguns moradores hoje foi mais um dia de limpeza das casas, para alguns comerciantes também foi dia de contar os prejuízos e ver o que foi levado pelas águas

Em um mercadinho o prejuízo foi grande chegando a mais de 15 mil reais. Na fábrica de sandálias Art Couro muitas máquinas ficaram em baixo d'água, funcionários passaram o dia limpando tudo para que a fábrica volte a funcionar. Além destes outros comércios que ficam nas proximidades do rio sofreram perdas, como foi o caso da Farmácia Anunciação, Bomboniere Rios, neste caso tanto a loja no centro foi atingida, como o galpão de estoque no bairro da Barra, pelo riacho do Boqueirão. Lojas na praça da feira livre também foram atingidas. 
 

Na barragem grande, um importante ponto turístico de Riachão a imagem também era de muita destruição e prejuízos, muitas barracas destruídas na enxurrada. Ocorreram boatos na cidade de que o paredão da barragem estaria rachado e prestes a ruir, fato que foi descartado por técnicos da defesa civil que estiveram no local, apenas uma fissura se nota onde a água corre, nada de muito preocupante. 
 


Já no bairro Clériston Andrade o prejuízo foi além do material, teve também o prejuízo sentimental, Zedeck, muito conhecido na cidade por cuidar de animais abandonados teve a casa completamente destruída na enxurrada, além dos objetos pessoais, animais que estavam no canil sendo cuidados por ele, e animais de estimação foram levados pelas águas e morreram. Ele continua cuidando dos animais que sobreviveram, e espera poder reconstruir todo o canil novamente, um local que para muitos é uma espécie de hospital dos animais, inclusive colaborando com a associação de animais da cidade a Aparj Beato Salu.

Zedeck pede a quem possa ajudar com doações de ração e medicamentos veterinários para cuidado com os animais e posteriormente materiais de construção para que ele possa reconstruir o local.

VEJA O VÍDEO:

 

REPORTAGEM DE ALANA ADRIELLE